"Falta de informação sobre COVID-19 leva ao aumento do abandono de pets no mundo: saiba como combater fake news e proteger os animais"

índice
  1. Falta de informação sobre COVID-19 faz casos de abandono de pets crescerem no Mundo todo
    1. Qual a recomendação das autoridades de saúde em relação aos pets durante a pandemia do COVID-19?
    2. Existem evidências de que animais de estimação possam transmitir a COVID-19 para humanos?
  2. A propagação das fake news e o aumento do abandono de pets
    1. Quais medidas estão sendo tomadas pelas associações mundiais para combater o aumento do abandono de pets?
    2. Qual o papel da população em relação ao aumento do abandono de pets durante a pandemia do COVID-19?
  3. O cenário preocupante do abandono de pets no Brasil
    1. Qual o número aproximado de animais abandonados no Brasil?
    2. O que fazer em caso de presenciar um caso de abandono ou maus-tratos de animais?
  4. Combate às fake news e a importância de se manter informado
    1. Qual a importância de se manter informado em meio à pandemia do COVID-19?
    2. O que pode ser feito para combater a propagação de fake news?
  5. Conclusão

Falta de informação sobre COVID-19 faz casos de abandono de pets crescerem no Mundo todo

Infelizmente, em meio a tantas preocupações trazidas pelo novo coronavírus, ainda temos que lidar também com a ignorância de algumas pessoas que, por estarem mal informadas (e também sem compaixão ou amor), estão abandonando e até eutanasiando seus cães e gatos com medo que eles transmitam o novo coronavírus.

Pra não restar nenhuma dúvida, a gente lembra que não há evidências de que animais de estimação possam transmitir a COVID-19 para humanos. A WSAVA – Global Veterinary Community – apenas recomenda que as pessoas infectadas não tenham contato muito próximo com seus pets. Isso porque, alguns vírus podem sofrer mutações e se adaptar a diferentes espécies com o passar do tempo.

Qual a recomendação das autoridades de saúde em relação aos pets durante a pandemia do COVID-19?

A WSAVA – Global Veterinary Community – recomenda que as pessoas infectadas pelo novo coronavírus não tenham contato muito próximo com seus pets.

Existem evidências de que animais de estimação possam transmitir a COVID-19 para humanos?

Não, até o momento não há evidências de que animais de estimação possam transmitir a COVID-19 para humanos.

A propagação das fake news e o aumento do abandono de pets

O problema é que com a propagação das notícias falsas e do alarde desnecessário, no Mundo todo há um número crescente de abandono de animais. A China, epicentro do COVID-19, foi o primeiro País em que cães e gatos foram covardemente expulsos de suas casas, mas, por infelicidade, essa “pandemia” já está se espalhando tão rapidamente quanto o novo coronavírus.

Associações mundiais ligadas à proteção animal estão tomando medidas para combater a onda de maus-tratos aos bichinhos. No Brasil, por exemplo, a ARCA BRASIL – Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal – também está fazendo um alerta sobre o risco que cães e gatos estão correndo nas mãos de pessoas desesperadas.

Quais medidas estão sendo tomadas pelas associações mundiais para combater o aumento do abandono de pets?

Associações mundiais ligadas à proteção animal estão tomando medidas para combater a onda de maus-tratos aos bichinhos, como a ARCA BRASIL - Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal, que está fazendo um alerta sobre o risco que cães e gatos estão correndo nas mãos de pessoas desesperadas.

Qual o papel da população em relação ao aumento do abandono de pets durante a pandemia do COVID-19?

A população deve se manter bem informada e combater a propagação das fake news, além de denunciar casos de abandono e maus-tratos de animais.

O cenário preocupante do abandono de pets no Brasil

Vale lembrar que o Brasil já tem um quadro assustador de quase quatro milhões de pets em condição de vulnerabilidade, e que nada serve como justificativa para deixar os bichanos desassistidos. Se vir alguma situação de abandono ou maus-tratos denuncie: Ibama (0800 61 80 80), Disque Ambiente (0800 11 35 60), Disque Denúncia (181) ou Polícia Militar (190).

Qual o número aproximado de animais abandonados no Brasil?

O Brasil tem um quadro assustador de quase quatro milhões de pets em condição de vulnerabilidade.

O que fazer em caso de presenciar um caso de abandono ou maus-tratos de animais?

Em caso de presenciar um caso de abandono ou maus-tratos de animais, é importante denunciar através dos canais disponíveis, como Ibama (0800 61 80 80), Disque Ambiente (0800 11 35 60), Disque Denúncia (181) ou Polícia Militar (190).

Combate às fake news e a importância de se manter informado

Manter-se bem informado e checar as notícias recebidas é fundamental, principalmente em períodos de crise. Quem é YesPetsr de verdade precisa ficar atento e combater a propagação das fake news, só assim manteremos nossos amados bichinhos longe da ignorância humana.

Qual a importância de se manter informado em meio à pandemia do COVID-19?

É fundamental se manter informado e checar as notícias recebidas, principalmente em períodos de crise, para evitar a propagação de fake news e tomar medidas adequadas para proteger a si e aos outros.

O que pode ser feito para combater a propagação de fake news?

Para combater a propagação de fake news, é importante checar as informações recebidas antes de compartilhar e sempre buscar fontes confiáveis e verificadas.

Conclusão

O aumento do abandono de pets durante a pandemia do COVID-19 é um reflexo da desinformação e do medo que tem se espalhado juntamente com o vírus. É importante que a população se mantenha bem informada e combata a propagação de fake news, além de denunciar casos de abandono e maus-tratos de animais. Nossos pets são membros da família e merecem ser tratados com amor e cuidado, mesmo em tempos de crise.

Camillo Dantas

Camillo, redator apaixonado, especialista em criar conteúdos envolventes e impactantes para o site. Viaja e estuda incessantemente para produzir textos únicos, inspiradores e precisos.

Receitas relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go up