Criptorquidismo ou Testículo Ectópico em animais: causas, sintomas, tratamento e curiosidades.

Criptorquidismo ou Testículo Ectópico em animais: causas
índice
  1. Criptorquidismo ou Testículo Ectópico em animais
    1. O que é o Criptorquidismo?
    2. Causas do Criptorquidismo
    3. Sintomas do Criptorquidismo
    4. Diagnóstico do Criptorquidismo
    5. Tratamento do Criptorquidismo
    6. Curiosidades sobre o Criptorquidismo
    7. Perguntas e Respostas
    8. Conclusão

Criptorquidismo ou Testículo Ectópico em animais

O Criptorquidismo é uma condição que pode afetar os animais machos, sendo mais comum em cães e gatos. Neste artigo, vamos explorar o que é essa condição, suas causas, sintomas, tratamento e curiosidades sobre ela. Se você tem um animal de estimação macho ou está pensando em adotar um, é importante estar informado sobre essa condição para garantir a saúde e bem-estar do seu companheiro. Então, vamos lá!

O que é o Criptorquidismo?

O Criptorquidismo é uma condição em que os testículos não descem para o saco escrotal, permanecendo retidos no abdômen ou no canal inguinal. O termo vem do grego, onde “crypto” significa escondido e “orchis” significa testículo, ou seja, testículo escondido.

No desenvolvimento fetal, os testículos se formam dentro do abdômen e depois descem pelo canal inguinal até o saco escrotal. Porém, em alguns casos, esse processo não acontece corretamente, resultando no Criptorquidismo.

Causas do Criptorquidismo

O Criptorquidismo pode ser causado por fatores genéticos ou hormonais. Em alguns casos, pode ser herdado dos pais, por isso, é importante observar se algum dos pais do animal já teve essa condição. Além disso, algumas raças são mais propensas a desenvolver o Criptorquidismo, como o Dachshund, Poodle, Bulldog, Chihuahua e Yorkshire.

Outra possível causa é a produção insuficiente do hormônio gonadotrofina, responsável por estimular a descida dos testículos para o saco escrotal. Quando esse hormônio não é produzido em quantidade suficiente, os testículos podem não descer corretamente.

Sintomas do Criptorquidismo

O principal sintoma do Criptorquidismo é a ausência de um ou ambos os testículos no saco escrotal. Esse sintoma pode ser percebido desde o nascimento do animal ou mais tarde, por volta dos seis meses de idade. Outros sintomas que podem estar associados a essa condição incluem:

  • Agitação excessiva
  • Hipersexualidade
  • Tendência à agressividade

Esses sintomas são causados pela produção de testosterona pelos testículos retidos, mesmo que eles não estejam no saco escrotal. Porém, em alguns casos, o Criptorquidismo pode não apresentar sintomas, sendo descoberto apenas através de exames físicos ou de ultrassom.

Diagnóstico do Criptorquidismo

O diagnóstico do Criptorquidismo pode ser feito através de um exame físico, onde o médico veterinário pode palpar a região abdominal e o canal inguinal para verificar a presença dos testículos. Porém, o método mais preciso é o ultrassom, que permite localizar exatamente onde estão os testículos retidos.

Tratamento do Criptorquidismo

O tratamento para o Criptorquidismo é a castração, que consiste na remoção dos testículos retidos. Essa cirurgia pode ser feita a partir dos seis meses de idade, quando o canal inguinal já está fechado e os testículos não têm mais chances de descerem naturalmente.

É importante ressaltar que, além de evitar a reprodução de animais com essa condição, a castração também previne o desenvolvimento de doenças como tumores testiculares, que podem ser causados pela produção excessiva de testosterona pelos testículos retidos.

Curiosidades sobre o Criptorquidismo

Confira algumas curiosidades sobre o Criptorquidismo:

  • A incidência de Criptorquidismo em cães é de aproximadamente 15%, enquanto em gatos é de apenas 1,5%.
  • Essa condição é mais comum em animais machos, mas também pode afetar fêmeas, embora seja mais raro.
  • O Criptorquidismo pode ser confundido com outros problemas, como o atraso na descida dos testículos, que é comum em filhotes.
  • Animais com Criptorquidismo podem ter uma vida saudável e feliz após a castração, pois a produção de hormônios não é afetada.
  • O Criptorquidismo é considerado uma condição hereditária, por isso, é importante evitar a reprodução de animais que tenham essa condição.

Perguntas e Respostas

Para facilitar ainda mais o entendimento sobre o Criptorquidismo, separamos algumas perguntas e respostas comuns sobre o assunto:

1. O Criptorquidismo é uma condição grave?

Apesar de ser uma condição que requer tratamento, o Criptorquidismo não é considerado grave e não oferece riscos à vida do animal. Porém, pode causar problemas de saúde se não for tratado, como o desenvolvimento de tumores testiculares.

2. Como é feita a cirurgia para retirada dos testículos?

A castração em animais com Criptorquidismo é feita da mesma forma que em animais comuns, porém, pode ser um pouco mais complexa devido à localização dos testículos retidos.

3. Existe alguma forma de prevenir o Criptorquidismo?

Não existe uma forma de prevenir o Criptorquidismo, pois é uma condição hereditária. Porém, evitar a reprodução de animais com essa condição é uma forma de controlar a incidência dessa condição.

4. Animais com Criptorquidismo podem ter filhotes?

Em alguns casos, animais com Criptorquidismo unilateral (um testículo retido) ainda podem ter filhotes, mas isso não é recomendado, pois esses descendentes podem nascer também com essa condição.

5. O Criptorquidismo causa algum tipo de dor no animal?

Não, o Criptorquidismo não causa dor no animal, mas pode causar desconforto se não for tratado, principalmente devido à produção de hormônios pelos testículos retidos.

6. Gatos e cães têm a mesma incidência de Criptorquidismo?

Não, o Criptorquidismo é mais comum em cães do que em gatos. Em felinos, a incidência é de apenas 1,5%.

7. O Criptorquidismo pode afetar a saúde reprodutiva do animal?

Sim, o Criptorquidismo pode causar infertilidade nos animais, mas isso só acontece em casos de Criptorquidismo bilateral (ambos os testículos retidos).

8. Qual o melhor momento para fazer a cirurgia de castração em animais com Criptorquidismo?

O ideal é que a cirurgia seja feita a partir dos seis meses de idade, quando o canal inguinal já está fechado e os testículos não têm mais chances de descerem naturalmente.

9. O Criptorquidismo pode afetar a personalidade do animal?

Em alguns casos, a produção de hormônios pelos testículos retidos pode causar mudanças no comportamento do animal, como agitação excessiva, hipersexualidade e tendência à agressividade.

10. Animais com Criptorquidismo podem ter uma vida saudável?

Sim, após a castração, animais com Criptorquidismo podem ter uma vida normal e saudável, sem maiores complicações de saúde.

Conclusão

O Criptorquidismo é uma condição que pode afetar animais machos, sendo mais comum em cães. Apesar de não ser considerado grave, é importante que seja diagnosticado e tratado o quanto antes para evitar possíveis complicações de saúde. Além disso, é importante evitar a reprodução de animais com essa condição para controlar sua incidência na população. Se você tem um animal de estimação macho, fique atento aos sintomas e consulte um médico veterinário caso perceba algo diferente. E lembre-se, a castração é uma forma de prevenir diversas doenças e garantir uma vida saudável e feliz para o seu companheiro.

Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos e familiares que também têm animais de estimação. Até a próxima!

Por YesPets - 16 de março de 2018

Camillo Dantas

Camillo, redator apaixonado, especialista em criar conteúdos envolventes e impactantes para o site. Viaja e estuda incessantemente para produzir textos únicos, inspiradores e precisos.

Receitas relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go up