"Problemas de pele em gatos: 6 doenças comuns e como preveni-las | Blog Petlove"

6 problemas de pele em gatos
Por Marina Rodrigues -
15 de junho de 2022

Algumas doenças acometem mais os nossos peludos, por isso, devemos sempre nos atentar à saúde deles. 
As doenças que afetam a pele são um belo exemplo dessas enfermidades comuns e para ajudar todos os gateiros, vamos falar um pouquinho sobre os 6 problemas de pele em gatos. Confira!

1 – Sarna
Um dos problemas de pele mais comuns dos gatinhos é a sarna e não existe apenas um tipo, não! Elas são divididas em demodécica (ou sarna negra), otodécica (sarna dos ouvidos), notoédrica e sarcóptica. Todas elas têm em comum o ácaro como parasita transmissor. Os sintomas envolvem: coceira intensa, feridas no corpo, vermelhidão, dor ao coçar e queda de pelo no local afetado.
Se o seu peludo está com estes sintomas, procure o médico-veterinário para ele poder realizar o exame de raspado de pele e assim, descobrir qual dos tipos de sarna está acometendo seu gatinho e propor o tratamento adequado!
2 – Acne felina
Assim como nós, humanos, os gatinhos também possuem acne e ela se forma de uma maneira muito semelhante à nossa! O que acontece é que as glândulas sebáceas deles produzem secreções em maior quantidade que o normal, fazendo com que os poros fiquem entupidos e formem pequenos cravos na região do queixo e boca.
Esses pequenos nódulos causam dor quando tocados e podem até sangrar e formar feridinhas caso o pet coce o local.
O tratamento envolve medicamentos tópicos (para a pele) e uma boa higienização do local, porém, apenas o médico-veterinário poderá indicar a melhor conduta para o caso, tudo bem?
3 – DAPE (dermatite alérgica à picada de ectoparasitas)
Essa é uma das mais famosas! Alguns gatos podem ter alergia a um componente da saliva das pulgas e, com isso, podem apresentar coceira intensa, estresse, agressividade, feridas pelo corpo e vermelhidão no local.
Por isso, é muuuito importante que seja realizado o controle e prevenção das pulgas no ambiente e que o antipulgas seja administrado ao pet, com a frequência adequada, principalmente se ele tem livre acesso à rua e outros animais.
4 – Alergia alimentar
A alergia alimentar também pode ocorrer nos bichanos. Isso acontece, pois eles podem ter reações alérgicas à fonte de proteína ou algum componente da dieta. 
Os sinais envolvem principalmente vômito, diarreia, coceira, conjuntivite, otite e queda de pelo. Eles podem não ser vistos de imediato e se intensificam com o tempo, pois a reação depende da ação do sistema imunológico do pet.
Para saber se ela é a responsável pelos sintomas, é necessária a realização de uma triagem alérgica minuciosa indicada pelo médico-veterinário, onde inicialmente deve ser descartada a alergia causada por ectoparasitas. Feito isso, o pet precisa se alimentar com uma ração com outra fonte de proteína que ele nunca ingeriu antes, por um período de 8 a 12 semanas. Se os sintomas desaparecerem após essa conduta, passamos para a próxima etapa do processo: o fornecimento da dieta que o gatinho estava acostumado a comer, para que o diagnóstico seja concluído e prove que de fato o alimento ocasionou todos os sintomas.
5 – Alopecia psicogênica
Você sabia que gatinhos estressados podem apresentar problemas de pele? Pois, então, essa enfermidade tem como causa o estresse, seja por mudanças singelas, até mesmo pela chegada de um novo pet na família ou uma criança.
O que acontece é que o gato passa a se lamber excessivamente na região das coxas, virilhas, barriga e costas, acaba perdendo os pelos no local e até provoca feridas.
Para que o diagnóstico seja feito, é necessário descartar os problemas de pele relacionados aos parasitas.
6 – Micose
É chamada de dermatofitose, causada por fungos dos gêneros Microsporum, Trichophyton e Epidermophyton. Os sinais ocorrem principalmente nas orelhas, rabo, patas e cabeça e envolvem queda de pelo, descamação da pele, unhas fracas, lesões avermelhadas em formato anelar no focinho e orelhas etc.
Essa doença pode ser transmitida aos humanos, por este motivo, é importante que o gatinho que apresente estes sinais, seja diagnosticado o mais rápido possível. 
Por não haver um método de prevenção através de vacinas ou medicamentos, fique atento a qualquer alteração no pelo e pele do seu bichano, também evite deixá-lo se aventurar por aí e não deixe que a pele fique úmida, pois favorece o aparecimento dos fungos.
É importantíssimo procurar o auxílio do médico-veterinário em todas as situações aqui descritas, só ele poderá diagnosticar e tratar adequadamente. Não utilize receitas caseiras passadas na internet e evite deixar o gatinho sair na rua, pois é nela que eles podem adquirir algumas dessas enfermidades!
Agora que você já sabe os 6 problemas de pele em gatos, acesse o Blog da Pet para mais dicas sobre saúde dos felinos!

#alergia #doenças #gatos #parasitas #pele #YesPets #saude

Camillo Dantas

Camillo, redator apaixonado, especialista em criar conteúdos envolventes e impactantes para o site. Viaja e estuda incessantemente para produzir textos únicos, inspiradores e precisos.

Receitas relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go up